Club de Santa Isabel
o Ivaí

Mostrando todas as publicações do Clube

“Rotary é serviço e ao mesmo tempo uma escola de cidadania”, afirma pioneiro de Maringá

Uma das prioridades do Rotary é a reversão à queda de associados da organização, que no início deste ano rotário já tem demonstrado excelentes resultados. Só no Distrito 4630, até 02 de agosto tivemos 52 companheiros a mais do que no início da gestão. Antonio Augusto de Assis, 86 anos, formado em Letras, professor aposentado da Universidade Estadual de Maringá, afirma que num tempo em que tantas influências negativas lutam pelo afrouxamento moral, pela desorganização das famílias, pela valorização do egoísmo, é fundamental fortalecer tanto quanto possível as instituições que se dedicam a preservar as grandes virtudes humanas. “O Rotary é um lugar onde as famílias (pais, mães, filhos, netos e outros parentes e amigos) se reúnem semanalmente para desenvolver bons hábitos de convivência, cultivar o companheirismo, crescer juntas e servir gratuitamente a sociedade através de várias formas de trabalho comunitário, sobretudo através de bons exemplos.  Rotary é serviço, e ao mesmo tempo é uma escola de ética, fraternidade, altruísmo, responsabilidade social. Uma escola de cidadania”, afirma o rotariano sócio honorário do Rotary Club de Maringá Aeroporto. Segundo ele, o Rotary é uma dessas instituições e sua ação começa no lar de cada rotariano. Na medida em que se formam crianças e jovens em um ambiente exemplar, cresce a esperança de que o mundo, apesar de tantas ameaças, tem ainda condição de tornar realidade a civilização do amor, da justiça e da paz. Rotariano desde 1966, inicialmente no Rotary Club de Maringá, Assis destaca que sua família se formou cultivando e procurando pôr em prática os grandes ideais rotarianos. “Tinha 33 anos quando ingressei em Rotary. Casado com Lucilla, tínhamos duas filhas ainda crianças. O Rotary foi muito importante na minha vida, em todos os aspectos, não só por me proporcionar um círculo de amizades de altíssimo nível, como também pela oportunidade que me deu para fortalecer e aprimorar minhas convicções éticas, cívicas e espirituais”. Seu neto João Marcos de Assis Miguel é o atual presidente do Rotary Club de Maringá Norte, uma demonstração de que é possível transmitir Rotary de geração em geração. Quando se tornou rotariano, a cidade de Maringá tinha apenas 19 anos e só existia um Rotary e um Lions. “Os dois clubes de serviços congregavam os principais líderes da geração pioneira e exerceram influência muito significativa na formação da sociedade maringaense. Até então, ninguém era íntimo de ninguém, visto que cada um veio de um lugar diferente. Os clubes de serviços ajudaram os pioneiros a se conhecerem melhor e a se tornarem ótimos amigos uns dos outros. Com isso foi possível unir forças e proporcionar preciosos serviços à comunidade”, relembra. Larissa Nakao Comunicação Corporativa

Postado em 20 de Setembro de 2019

GAs em Ação - Emanuel Pedro Agostinho – Grupo 17: Loanda, Planaltina do Paraná, Santa Cruz de Monte Castelo e Santa Isabel do Ivaí

Quando o resultado se sobressai ao tempo de vivência em Rotary, associado como o governador assistente Emanuel não passaria despercebido pelo governador Edio Martello, que convocou o empresário Emanuel Pedro Agostinho, do Rotary Club de Santa Isabel do Ivaí, para ser GA do grupo 17, com apenas três anos e meio de Rotary. Nesse período ele foi presidente de DQA, da Fundação Rotária e presidente de clube em 2018-19. “Quando o governador Edio me fez o convite, eu pedi 15 dias para dar a resposta, não esperava. Como tenho uma empresa de consultoria ambiental e segurança do trabalho, tive que avaliar se teria condições de atender ao chamado do governador. Vontade não me faltou, então me organizei com meu sócio e minha família para estar focado nessa missão”, comenta Emanuel. Empolgado, ele ressalva que tem trabalho em conjunto com o coordenador distrital de Desenvolvimento do Quadro Associativo, Natanael de Souza e o colégio de governadores, para formar nos próximos meses o Rotary Club São Pedro do Paraná/Porto Rico. Cinco reuniões já foram realizadas e a cada uma delas, um governador tem contribuído com sua experiência para falar aos possíveis rotarianos sobre a dimensão do Rotary. “Em uma reunião, por exemplo, trouxemos o governador 2015-16 Renato Tavares para falar sobre a Fundação Rotária, como os projetos são realizados. Foi sensacional mostrar a dinâmica de como tudo funciona. Teve também o governador 2018-19 Carlos Naves que falou sobre as áreas de enfoque do Rotary. Estamos confiantes de que teremos um novo Rotary Club em breve, as pessoas estão bem empolgadas e interessadas em se juntar conosco para servir à comunidade”.    Larissa Nakao  Comunicação Corporativa

Postado em 17 de Setembro de 2019

EMPRESA CIDADÃ Moderna e antenada, TRIVIUN é referência nacional em mochilas escolares

Com certeza você já deve ter visto em alguma papelaria, mochilas e bolsas da marca TRIVIUN, assim como também em lojas virtuais na internet. Na Amazon, Americanas, Ponto Frio, Shoptime, entre outras, é possível comprar os produtos da marca, que conta com 42 Representantes em todo o Brasil. São mochilas, pastas catálogos, estojos, nécessaires, tudo produzido em Maringá. A marca faz parte do Grupo TN, responsável também pela marca TN Office, voltada para o público corporativo, com produtos de alta qualidade e design moderno. Há 25 anos no mercado, a empresa tem no comando os sócios Ronaldo Tramontin Vená e Rosely Vená de Oliveira, que são irmãos e o casal Orides Nicolao e Neiva Antonieta Bonassi Nicolao. Responsável pela Gestão de Pessoas, Neiva está neste ramo desde 1993, iniciando como representante e distribuidora ao lado do marido. Em 1999, ela e Orides entraram na sociedade. Segundo ela, a TRIVIUN foi idealizada para atender o público mais jovem, que já utilizava a linha escolar da antiga TN Bolsas, porém na época, através de estudos e consultorias, perceberam que o nome não tinha um apelo atrativo com os adolescentes. "O nome TRIVIUN significa 'o lugar onde três caminhos se encontram', mostrando os diferentes públicos que se unem, tendo nossos produtos como referência para sua própria identificação. Nosso público-alvo é o teen", explica a empresária. Seguindo ela, a escolha do lobo como símbolo da TRIVIUN foi um processo longo, mas que atingiu todas as expectativas, por ser um animal símbolo brasileiro e com instinto desbravador, representando assim os objetivos da marca. O Grupo TN trabalha com processos de produção e desenvolvimentos modernos e avançados, priorizando produtos com um design exclusivo e únicos, com vários diferenciais que agregam valor aos mesmos, devido aos processos de produção utilizados. A coleção é desenvolvida a cada um ano por uma equipe de profissionais do Setor de PDI (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) formado por estilistas, modelistas e piloteira, todos focados em inovação e melhoria contínua. "As coleções são desenvolvidas a partir das principais tendências que se encaixam com o nosso público final, pois, hoje em dia, os adolescentes estão cada vez mais antenados e exigentes no que desejam nos produtos. Nossa equipe busca informações através de sites especializados em tendências, palestras, feiras de moda e análise de produtos com o consumidor final, para não faltar detalhes e assertividade. Cada produto desenvolvido considera a ergonomia, o conforto, a estética, materiais resistentes e produção 100% nacional", detalha Neiva. Alguns produtos possuem um selo de tecido sustentável, que também é um dos cuidados que o Grupo TN tem com o meio ambiente e as novas tendências e exigências dos consumidores mais antenados. "Destaco que todas nossas mochilas têm um diferencial que são os compartimentos para notebook e portanto são espaços semi-térmicos. Segundo a empresária, a TRIVIUN procura se posicionar fora do mercado dos importados, por terem um produto com valores agregados, como: "handmade" (feito à mão), estudo de comportamento e tendências, garantia para o cliente, onde o índice de troca é muito baixo. "Com isso conseguimos fidelizar as papelarias que são nossos principais clientes. Temos também devido a situação do mercado, uma linha com preços mais atrativos que são os Combos, com valores mais baixos para aqueles que perderam poder de compra, mas querem as marcas TN Office/TRIVIUN; pois mantemos padrão de qualidade e garantia, atendimento diferenciado para quem precisa de bons produtos com preços mais acessíveis", ressalta. O Grupo TN possui aproximadamente 40 colaboradores internos, parcerias com facções e prestadores de serviços. Além de um cronograma de ações internas de capacitação e oficinas de líderes, os empresários oferecem aos envolvidos: incentivo escolaridade, pontualidade, programa 5S, fábrica de ideias e outros benefícios. Considera que faz parte dos valores da marca, "sempre trabalhamos ações solidárias por iniciativa própria, atualmente realizamos 4 ações anuais: 1– Páscoa Solidária: a cada 3 litros de leite que o colaborador doa, ele ganha 1 cupom para concorrer ao sorteio de 3 ovos de chocolate, que no final da campanha a empresa entrega como forma de incentivo. "A cada ano o número de litros vem aumentando, este ano fizemos em parceira com o Rotary ACIM e entregamos este ano na Rede Feminina de Combate ao Câncer mais de 1.400 litros", afirma Neiva.  2 - Campanha do Agasalho em junho: as arrecadações são entregues para a comunidade do Jardim Alvorada, onde fica a empresa, com isso contribuímos com quem está mais próximo, ou seja nosso entorno. 3 - Campanha de arrecadação de brinquedos em outubro: Entrega para entidades que atendem crianças como: o Lar Escola da Criança e a Creche Menino Jesus. 4- Campanha de Arrecadação de Alimentos (macarrão e óleo) em Novembro: contribuem com a confecção de cestas de alimentos para famílias atendidas pela Creche Menino Jesus. Foram 167  latas de pêssego, 548 macarrões e 837 litros de óleo arrecadados no ano passado.    Sobre se tornar uma Empresa Cidadã do Rotary International, a empresária comenta que mesmo sem poder avaliar o retorno do investimento em termos de vendas ainda, a parceria é bem positiva por acreditarem que estão fazendo o bem, associados a uma entidade séria.   "Atualmente usamos em nossas assinaturas de e-mail o Selo de Empresa Cidadã, em posts que fazemos pelo face Gestão de Pessoas e acreditamos que com o tempo isso passará a ser um valor percebido pelo consumidor, que já está observando e usando como opção de escolha as marcas que têm esse comprometimento sustentável em seu DNA", finaliza. Larissa Nakao  Comunicação Corporativa        

Postado em 10 de Setembro de 2019

Regras para os Subsídios Distritais e Globais

É obrigatória a qualificação do clube através da assinatura do MDE, Memorando de Entendimento (ANEXO 1), que deverá ser entregue em mãos pelo representante do clube, durante o SEMINÁRIO DA FUNDAÇÃO ROTÁRIA, programado para o dia 21 de julho de 2019.   A participação financeira do distrito será de acordo com a per capita referente á contribuição total do clube , no ano 2018/19.   O Clube pode apresentar mais de 1 projeto, desde que a soma dos projetos não ultrapasse o valor previamente determinado pelo distrito.   Será necessário o preenchimento do formulário específico do projeto (ANEXO 2), a partir do dia 01/07/2019 e com prazo final de entrega dia 15/10/2019, encaminhados exclusivamente para o e-mail: subsidios@rotary4630.org.br, mediante a confirmação de recebimento.   Os projetos serão analisados pela comissão conforme chegada e respondidos com a confirmação ou com sugestões de correções.   O clube deverá estar em dia com suas obrigações financeiras junto à governadoria e ao Rotary International. O clube deverá ter CNPJ e conta corrente em banco.   Os projetos devem estar dentro das seis áreas de enfoque preconizadas pela Fundação Rotária (ver ANEXO 3). Toda documentação dos projetos: notas fiscais, orçamentos, etc, deverão ficar arquivados no clube para qualquer solicitação  1. Para Subsídio Distrital:  a) A participação distrital será no valor máximo de 1/3 do valor total do projeto apresentado, limitado ao valor correspondente á sua contribuição conforme planilha (ANEXO 4), podendo haver fator de redução.  b) Na participação financeira do projeto deverá estar o clube, um parceiro e o distrito, cada um com valor correspondente de contribuição no mínimo igual ou superior ao valor do distrito.  c) Poderá haver a junção de clubes no mesmo projeto somando-se as participações, sujeita a análise da comissão.  d) Os projetos serão analisados pela Subcomissão de Subsídios, Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária e pelo Governador Distrital, que respeitarão os critérios de aprovação do Rotary International.    2. Para Subsídio Global:  a) A participação distrital por projeto será limitada ao valor máximo correspondente á sua contribuição conforme planilha (ANEXO 4), podendo haver fator de redução.  b) O projeto poderá ter a participação de mais clubes, mas a participação do distrito é limitada ao artigo acima.  c) Os projetos serão recepcionados a partir de 1 de julho de 2019, até a data de 15 de outubro de 2019, onde serão analisados pelo CADRE, Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária e pelo Governador Distrital, que respeitarão os critérios de aprovação do Rotary International.  d) Os projetos selecionados pelo CADRE, serão encaminhados à Comissão Distrital da Fundação Rotária para os devidos procedimentos. Os recursos desses projetos serão assegurados até 15 de janeiro de 2020, quando deverão estarem emparceirados e em fase final de aprovação. Os projetos que não alcançarem essa fase terão seus recursos disponibilizados aos demais projetos não selecionados.  e) Todos os projetos que não conseguirem a aprovação junto a Fundação Rotária no ano 2019-20, deverão ser reapresentados no ano rotário seguinte, se assim desejarem dar continuidade ao processo. Escritório da Governadoria, 05 de julho de 2019.   Governador Distrital 2019-20 Edio Martello   Presidente da Comissão Distrital da Fundação Rotária 2019-20 Antonio Carlos Cardoso   Presidente da Comissão Distrital de Serviços Internacionais Renato Tavares

Postado em 02 de Setembro de 2019

50 anos do homem na Lua e o Quadro Associativo: nada a ver?

Você sabia que Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na superfície da Lua em 20 de julho de 1969, há 50 anos, era rotariano honorário de Wapakoneta, Ohio ? Não estava sozinho: os astronautas Frank Borman, de Houston, Gordon Cooper, de Houston Space Center e Alan Shephard Jr, de Derry, New Hampshire, eram todos rotarianos honorários. Portanto, apesar de sonhar com a Lua, os rotarianos sempre mantiveram os pés na Terra.... Bem, nem sempre. Conseguiríamos realizar essa proeza, hoje, em 2019? A tecnologia deu um salto, a capacidade de processamento dos computadores da Apolo 11 hoje provavelmente caberia num computador médio, o conhecimento estelar e planetário foi exponencializado. Mas e o fator humano e social? Os jovens engenheiros “millennials” aceitariam o risco de algum erro e explodir o foguete, como ocorreu com a Apolo 1 em janeiro de 67? Confiaríamos nas equipes de trabalho atuais, com aversão ao risco e a gestões autoritárias ? Teríamos que montar equipes politicamente corretas? As mídias sociais não implodiriam o projeto diante do primeiro revés? O orçamento bilionário seria aprovado, num mundo com tantas necessidades prementes? Mas, o diretor ensandeceu? O que isso tem a ver com o quadro associativo do Rotary? O fato de que vários astronautas foram rotarianos é apenas sinal do prestígio que a instituição desfrutava junto a líderes comunitários, um bônus colateral. A mensagem é que, nos últimos 50 anos, a sociedade mudou visceralmente, e nós liderança temos que acompanhar essa tendência, agora em velocidade de escala geométrica, e não mais aritmética. Se não sintonizarmos a frequência da mudança, não superaremos o desafio de fazer o Rotary crescer, do presidente Mark Maloney. No Brasil e na América do Sul, somamos 74 mil rotarianos, contra 81 mil em 2011. Perdemos dez por cento do quadro, ainda menos do que os EUA e Japão, que perderam 20% cada. Qual a fórmula do crescimento? Explorar os vazios rotários? Temos 3500 clubes na América do Sul, mas estamos presentes em menos de mil cidades. Fundar clubes satélites? Há vários casos de sucesso em inúmeros distritos e parece ser uma alternativa à fórmula tradicional de clubes com exigência de frequência e periodicidade de reuniões. Elevar o Rotaract? Uma injeção de ânimo parece ter tomado conta dos jovens, afinal reconhecidos oficialmente como parceiros presentes do Rotary, não mais um futuro indefinido que estimulava a deserção. Talvez uma mescla de todos esses caminhos. Como diretor, vou liderar pelo exemplo, marcando presença em 18 seminários de quadro associativo até 7 de dezembro. Inclusive nos cinco distritos brasileiros que, por estarem entre 1100 e 1200 associados, sofrem com a perspectiva de novo redistritamento. Nossa tarefa é ajudar os distritos a superar, saudavelmente, a marca de 1300 associados até julho de 2020, e assim escapar da degola. O que valeu para a NASA de 1969 que ainda vale para o Rotary de 2019 em nosso continente? O sentido de missão, de trabalho conjunto, de foco nos objetivos, de aceitação dos riscos, da superação dos reveses e do pessimismo. Essas serão nossas diretrizes. Não construiremos foguetes, mas conexões entre as pessoas para continuar nossa missão de fazer o bem para o mundo, para as comunidades, e para nós mesmos. Mário César de Camargo - Diretor do Rotary International      

Postado em 01 de Setembro de 2019

Reuniões Segundas-Feiras | 20:00
Rua Princesa Isabel,772 Cep: 87910-000